terça-feira, 5 de junho de 2018

SOLDADO JÚLIA E A SENHORINHA MARIA: O ZELO QUE VIRA APREÇO


 “Dia 28 de maio, enquanto patrulhava, eu vi essa senhora num comércio, sentada, com o rosto sangrando. Arredia, ela não queria ser levada para nenhum lugar, para não incomodar e não tomar tempo da viatura.
Mas eu insisti, dizendo que a levaria para casa; eu a enganei, levando ao pronto-socorro. Ela tomou ponto na mão. Estava com diversas escoriações, e até perdeu uma unha do pé.
Aguardei o atendimento e a levei para casa. Sensibilizei-me por ela dizer que estava fazendo sua caminhada diária, quando então caiu, porque seu chinelo se arrebentou. Disse a ela que não era ideal fazer caminhada com chinelos, mas sim com tênis. Ela disse não ter condições de comprar.
Sem dizer nada, espiei o número do calçado dela e, no mesmo dia, quando estava de folga, comprei um tênis para presenteá-la.
Quando a surpresa chegou, ela disse que estava pensando, feliz, lembrando-se da ajuda que lhe foi prestada. Com o presente dos chinelos, ela ficou ainda mais grata e feliz.” — palavras da Soldado JÚLIA.

— A Soldado JÚLIA trabalha na região do 31° Batalhão de Polícia Militar Metropolitano, em Guarulhos; E a senhorinha se chama Maria Aparecida —
COMUNICAÇÃO SOCIAL PMESP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso o(a) Senhor(a) se identifique (o que não é obrigatório) a Instituição responderá à solicitação apresentada